Pages Menu
Categories Menu

Postado em 28/02/2014 em Porta Joias | 4 comentários

Entenda a classificação dos diamantes por fluorescência

Entenda a classificação dos diamantes por fluorescência

Os diamantes são gemas preciosas formadas quimicamente pelo carbono.  São encontrados nas profundezas da Terra e possuem diversas características próprias que atribuem ao diamante muito valor agregado, seja financeiro ou passional.

Classificação dos diamantes por fluorescência

O que é fluorescência?

Fluorescência é a luz visível que alguns diamantes emitem quando expostos à invisível radiação ultravioleta (UV). Segundo um relatório de classificação da GIA, a fluorescência do diamante diz respeito à força, intensidade ou reação do diamante ao raio UV, que é um elemento essencial da luz do dia. A luz emitida dura enquanto o diamante é exposto à fonte de ultravioleta.

Fluorescência é comum?

Sim. Dos diamantes estudados pela GIA na última década, cerca de 25% a 35% apresentaram algum grau de fluorescência. No entanto, apenas 10% deles possuem fluorescência suficientemente forte para impactar a aparência do diamante (a fluorescência dos diamantes foram que foram classificadas como média, forte ou muito forte).
Em mais de 95% dos diamantes que exibem fluorescência, a cor vista é o azul. Em casos raros, a luz emitida pelo diamante é amarela, branca ou de outra cor.

Qual o impacto da fluorescência sobre a aparência de um diamante?

Estudos da GIA mostram que, para a esmagadora maioria dos diamantes, a força da fluorescência não tem efeito amplamente perceptível na aparência. Em muitos casos, observadores preferem a aparência dos diamantes que têm fluorescência média aos diamantes que possuem fluorescência forte.
Alguns casos raros mostram diamantes com fluorescência extremamente forte, nesses casos o diamante pode parecer nublado ou oleoso; menos de 0,2% dos diamantes fluorescentes submetidos à GIA apresentam esse efeito sobre fluorescência.

A fluorescência estrutural pode comprometer a integridade dos diamantes?

Não. Um diamante que fluoresce tem a mesma integridade de um diamante que não reage ao raio UV. Submicroscópicas substituições e ou mudanças na estrutura do diamante podem causar fluorescência, bem como impedi-la de aparecer. Nada em qualquer instância inerentemente enfraquece ou é ruim para o diamante.

“Jóia com diamantes, rubis, granadas e topázio vista em UV LW. Note-se a reacção diferenciada dos diamantes (com maior prevalência do azul), o vermelho no rubi e a ausência de reacção nas granadas e no topázio (ao centro)”

Fonte Imagem: Portugal Gemas

Fonte: GIA

4 Comentários

  1. Tenho pedras brutas que na luz negra ficam azul claro a quase roxo. será que são diamantes?

  2. Olá Paulo,

    É impossível dizer se a pedra é ou não um diamante sem vê-la pessoalmente. Sugerimos que você procure o IBGM http://www.ibgm.com.br/

    Att. Vecchio Joalheiros

  3. encontrei em filoes ou veios na pedra de basalto ou diabasio no carbonato pedras que ficou azul na luz ultravioleta,quais são as pedras que ficam azul na luz uvc?

  4. Olá Junior. Precisaríamos de mais informações para esclarecer suas dúvidas. Entretanto, se consultar o IBGM (Instituto Brasileiro de Gemas e Metais) eles poderão orientá-lo. http:www.ibgm.com.br. Boa sorte!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Diamante: A pedra do Mês de Abril - | - […] diamantes são formados e cristalizados em rochas vulcânicas a uma distância entre 80 e 190 quilômetros de […]

Responder o comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>